Soja Plus na Mídia

Meta do Soja Plus é atingir 7 mil produtores em sala de aula

Meta do Soja Plus é atingir 7 mil produtores em sala de aula

Com Goiás e Maranhão, o Soja Plus atingirá 56% da produção nacional de soja
Aprosoja
14/02/2017

O Programa Soja Plus, de gestão econômica, social e ambiental da propriedade rural, inicia 2017 com importantes objetivos: até o final de 2018, ampliar de 5.100 para 7 mil o número de produtores que participarão de cursos em salas de aula, e de 1.300 para 2 mil o número de fazendas que receberão assistência técnica. Também está prevista a expansão do programa para Goiás e Maranhão, o quarto e o décimo produtores de soja do País. Os demais estados participantes do Soja Plus são Mato Grosso, número um no ranking da produção de soja, Mato Grosso do Sul, que ocupa a quinta posição, Minas Gerais, a sétima, e Bahia, o sexto lugar.

Em Mato Grosso, a meta, em termos de propriedades participantes, é atingir mil unidades, um acréscimo de 234, prevê Cristiane Neves, gerente de pesquisa e gestão de propriedades da Aprosoja-MT.

O Soja Plus Minas Gerais caminha para atingir 100 novas fazendas, informa Pierre Vilela, superintendente do Inaes, do sistema Faemg, que coordena o programa no estado. A previsão, para este ano, é de revisitar cerca de 40 propriedades por onde já estiveram os supervisores de campo, diz.

Desafios - Para o coordenador nacional do Soja Plus, Bernardo Pires, gerente de sustentabilidade da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), os principais desafios, nos próximos dois anos, são o fortalecimento do programa onde ele já está implantado e a sua ampliação para os estados tradicionalmente sojicultores, como Maranhão e Goiás.

“Quanto maior o número de propriedades atendidas, maior será o impacto na melhoria dos indicadores socioambientais e econômicos da soja produzida no Brasil”, afirma Pires. Caberá à coordenação nacional do Soja Plus buscar parcerias e, por meio destas, conseguir novas adesões de produtores interessados em participar do programa.

Para planejar as atividades anuais, os coordenadores estaduais se reunirão em Cuiabá, no próximo dia 21, para o III Workshop Soja Plus Brasil (veja a agenda no final deste informativo).

Satisfação - Em seis anos de funcionamento, o programa registra como principais resultados o atendimento a 1.300 fazendas, onde são produzidos 7 milhões de toneladas de soja, e a satisfação dos produtores. O programa contabiliza a aceitação de 98% dos participantes.

Criado em 2011, o Soja Plus realiza capacitação teórica em sala de aula sobre as legislações que regulamentam as atividades rurais, em especial a trabalhista, a de saúde e segurança no trabalho e as ambientais. Após a capacitação teórica, os supervisores de campo realizam assistência técnica individual nas fazendas. A orientação é especifica para cada propriedade e contribui diretamente para o cumprimento da complexa legislação brasileira.

Benefícios – De acordo com a engenheira agrônoma Natalie Ribeiro, que coordenou o programa na Bahia até janeiro, os produtores “adoram” o kit de placas sinalizadoras de saúde e segurança no trabalho “Eles ligam perguntando sobre elas”, conta. Outros atendimentos também são elogiados, como as orientações dos técnicos, tanto por meio de visitas como quando elaboram o relatório técnico de cada propriedade. Os cursos de capacitação, principalmente os de NR 33, NR 35 e de primeiros socorros são muito bem recebidos no estado, onde o Soja Plus é coordenado pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba). Também fazem sucesso entre os produtores baianos os materiais de orientação.

Sojicultores do Mato Grosso do Sul, onde o Soja Plus completa três anos de atividades, mencionam como benefícios o aprendizado sobre boas práticas agrícolas. Em recente reportagem publicada no jornal A Crítica, de Campo Grande, Luciano Cargnin Mangio, proprietário de uma fazenda em Rio Brilhante, diz que o Soja Plus ajuda a entender quais técnicas precisam ser adequadas na propriedade e isso contribui para a mudança de comportamento de empregadores e empregados. “São detalhes de armazenagem de insumos, lubrificantes ou descarte de embalagens que parecem ser ações simples, mas que se não atenderem as normativas, resultam em autuação e multa”, afirma.

Metodologia de trabalho - O Soja Plus não fará alterações na metodologia de trabalho. O que tem sido objeto de inovação é a produção de materiais de difusão e orientação. “Todos os anos produzimos novos materiais. Recentemente, elaboramos manuais de construções rurais, de regularização ambiental e de gestão de resíduos. Agora vamos investir na orientação prática sobre recomposição de áreas de preservação permanente (APPs) e áreas de reserva legal (RL)”, informa Bernardo Pires, da Abiove.

Dos três pilares do Soja Plus – o econômico, o social e o ambiental -, qual avançou mais? “Começamos forte no social e depois trabalhamos muito no pilar econômico. A parte ambiental começou em 2016 e será ‘a bola da vez’ em 2017”, diz ele.

Acordos com China e Europa – Os bons resultados do Soja Plus têm impulsionado acordos de parceria com chineses e europeus. No ano passado, a Abiove e a Aprosoja-MT, que criaram o programa, assinaram um memorando de entendimento com a China Soybean Industries Association (CSIA).

E neste ano, no dia 19 de janeiro, na embaixada do Brasil, em Lisboa, a Abiove, a Aprosoja-MT, a Fefac (federação europeia da indústria de rações), a Fediol (federação da indústria de óleos vegetais da Europa) e a IDH (iniciativa de comércio sustentável) firmaram outro memorando de entendimento sobre soja sustentável. Essa nova parceria não objetiva apoiar sistemas estáticos de certificação de produto. O conceito é diferente. A ênfase será em questões dinâmicas de capacitação dos produtores para o cumprimento do Código Florestal, em especial quanto à recomposição de áreas de proteção permanente, isto é, as áreas de alto valor de conservação das fazendas. O programa Soja Plus é inclusivo e entrega resultados de melhoria na sustentabilidade na propriedade.

A cooperação com os europeus foi considerada necessária para tratar de tema tão complexo, como a melhoria da sustentabilidade da soja brasileira. O Soja Plus foi reconhecido como um importante vetor para ajudar nos desafios enfrentados pelos sojicultores.

Modelo de gestão sustentável - Os memorandos de entendimento com os chineses e com os europeus tratam de cooperação em torno de indicadores socioambientais. O Soja Plus está sendo reconhecido na China e na Europa como modelo de programa de gestão sustentável da sojicultura brasileira.

Agenda do III Workshop Soja Plus – Na reunião de planejamento anual, no dia 21, em Cuiabá, haverá apresentação de dados do Soja Plus MT, pela Aprosoja-MT, do Soja Plus Mato Grosso do Sul, pela Famasul, do programa na Bahia, pela Aiba, e em Minas Gerais, pela Faemg. A Aprosoja-MT apresentará o Programa de Regularização Ambiental (PRA) e o Manual de Resíduos em Propriedades Rurais, bem como o novo site Soja Plus Brasil.

Os coordenadores do Soja Plus discutirão, também, uma proposta de rodada ambiental no Brasil sobre os temas Código Florestal e Gestão de Resíduos. O III Workshop também debaterá sobre novos cursos e novas ferramentas de gestão. A data e o local do Seminário Soja Plus Brasil 2017 serão definidos na reunião de Cuiabá.

Assessoria de Comunicação

Contato: Telefone: 65 3644-4215 Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Fonte: Ascom Aprosoja