Soja Plus na Mídia

Programa Soja Plus atenderá 1.500 produtores rurais em 2011

Programa Soja Plus atenderá 1.500 produtores rurais em 2011

16/12/2011

Em 2011, cerca de 1.500 produtores de soja do Mato Grosso serão atendidos pelo Soja Plus, programa pioneiro de gestão econômica, social e ambiental da propriedade rural, que é oferecido em parceria entre a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais – ABIOVE, a Associação dos Produtores de Soja do Mato Grosso – APROSOJA, a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais – ANEC, o Instituto do Agronegócio Responsável – ARES, a Embrapa Soja, sediada em Londrina (PR), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), a Federação Agropecuária do Mato Grosso (FAMATO), a Universidade Federal de Viçosa (UFV) e o Instituto Algodão Social (IAS).

O Soja Plus foi desenhado para atender às necessidades dos produtores brasileiros em relação a temas como qualidade de vida no trabalho, melhores práticas de produção, viabilidade financeira e econômica, qualidade do produto e responsabilidade social. É um programa de melhoria gradativa e continua da gestão da propriedade, comenta o engenheiro florestal Bernardo Pires, coordenador ambiental da ABIOVE.

Em março deste ano, realizou-se o seminário Desafios e Oportunidades da Sojicultura Brasileira na Fecomércio, em São Paulo, com 100 participantes de empresas, produtores rurais, universidades, sociedade civil, instituições de pesquisa e governo. Nesse seminário foram definidas as ações estratégicas do programa.

Em verdade, explica o especialista da ABIOVE, poderia ser um “Agro Plus”, porque o Soja Plus não trará benefícios apenas à sojicultura, mas à propriedade rural e a todas as atividades desenvolvidas na mesma. “Normalmente, o produtor que trabalha com soja também cultiva milho. Existe uma forte correlação entre as culturas do milho e da soja, principalmente pelo uso do plantio direto, consórcio rotacional que dispensa o preparo convencional do solo”, acrescenta.

A ABIOVE e a ANEC respondem por 90% dacomercialização de soja do Brasil. A outra organizadora, a APROSOJA-MT, se fosse um país, seria o quarto maior produtor mundial, com 25% da produção brasileira. Por que o Instituto Algodão Social participa do Soja Plus? Porque tem muito a aportar em experiência no trato de questões trabalhistas, com as quais vem lidando nos últimos três anos.

O primeiro módulo do Soja Plus é justamente o dedicado à qualidade de vida no trabalho. Abrange:

1- saúde ocupacional (plano de controle médico de saúde ocupacional, procedimentos de garantia de acesso à água potável, alimentação adequada e instalações em boas condições sanitárias para trabalhadores, procedimentos de primeiros socorros, assistência médica e pronto atendimento em casos de acidentes);

2- segurança ocupacional (plano de controle de exigências legais e jornadas de trabalho, procedimentos de orientação aos funcionários com relação às atividades desenvolvidas – manuseio de químicos, operação de máquinas, riscos ambientais, saúde e segurança).

O segundo módulo do Soja Plus, que será oferecido em 2012, é relacionado às melhores práticas de produção. Estas se dividem em gestão das práticas de produção e gestão de impactos sobre recursos naturais:

- Monitoramento dos impactos positivos e negativos sobre o solo e a água, mapeamento de riscos ambientais e sociais das operações, monitoramento das emissões de gases de efeito estufa pelo uso de combustíveis, plano de redução, reutilização e reciclagem, procedimentos de uso de técnicas conservacionistaseplano de uso responsável de químicos.

- Mapeamento dos recursos naturais (recursos hídricos, áreas de preservação permanente e reserva legal), identificação de riscos ambientais e procedimentos para mitigação dos impactos.

O segundo módulo tem grande interface com a definição do novo Código Florestal. Com as novas regras ambientais definidas, as mesmas serão objeto dos cursos e dias de campo para esclarecer e orientar o produtor.

O Soja Plus atenderá também proprietários rurais de outros estados, como Maranhão, Piauí, Tocantins, Bahia Goiás e Paraná. No total, são 17 os estados que plantam a leguminosa. “Nos próximos anos, esperamos atender milhares de produtores em todo o País”, diz Bernardo Pires. Em sua avaliação, a sociedade vê com bons olhos o Soja Plus porque este não concorre com nenhum sistema de certificação internacional. “Quando o produtor rural estiver com uma gestão avançada nos três valores –social, ambiental e econômico – ele estará apto a participar de qualquer programa de certificação”.

Programação em julho e agosto – Nos meses de julho e agosto, serão realizadas 20 oficinas de campo (sobre legislação trabalhista) para produtores e gerentes de propriedades rurais nos 20 núcleos da APROSOJA (Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Tapurah, Sinop, Sorriso, Vera, Nova Xavantina, Canarana, Querência, Campo Verde, Jaciara, Santo Antônio do Leste, Campos de Júlio, Sapezal, Campo Novo do Parecis, Tangara da Serra, Diamantino, Alto Taquari, Primavera do Leste e Rondonópolis). Até o momento, já foram realizadas 15oficinas de campo com a participação de 520 produtores.

Em setembro e outubro, serão oferecidos 23 cursos para turmas de 30 alunos em parceria com o SENAR sobre NR- 31 (Norma Regulamentadora 31), do Ministério do Trabalho e Emprego, que regulamenta as questões de infraestrutura, jornada de trabalho, uso seguro de agrotóxicos, ambiente e qualidade de vida. No final do curso de 16 horas, o produtor receberá um Kit com placas informativas sobre saúde e segurança que serão afixadas em locais estratégicos da fazenda, evitando, assim, autuações desnecessárias por parte do Ministério do Trabalho.

Atividades previstas no Soja Plus – Produção e distribuição de material técnico para implementar boas práticas agrícolas, organização de treinamentos e dias de campo, trocas de experiências entre produtores, avaliação do grau de aplicação em campo do conhecimento repassado nos cursos, divulgação anual dos avanços e resultados obtidos no programa (encontro de participantes, seminários).

Soja Plus é atrativo ao produtor- O grande diferencial do Soja Plus é ser um programa atrativo para os produtores. Em um programa de certificação, o produtor deve se adequar aos princípios e critérios num prazo curto de tempo. Já o Soja Plus trabalha com a melhoria gradativa e contínua das propriedades, conforme a possibilidade financeira do produtor. “Isso permite a participação de um número maior de produtores, independentemente do porte da fazenda. Esse é o nosso grande trunfo”, afirma o engenheiro Bernardo Pires.

Aluno é o dono da fazenda– As inscrições para os cursos do SENAR no MT são feitas nos Sindicatos Rurais e na APROSOJA e são aceitos, preferencialmente, proprietários rurais e gerentes das fazendas.

Contato:

Fonte: